segunda-feira, outubro 20, 2014

O CASAMENTO É UMA ALIANÇA - Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu (Cantares 6.3)

Cântico dos Cânticos é um livro da Bíblia inteiramente dedicado ao romance, ao amor e à intimidade entre o homem e sua mulher. É a celebração do amor como dádiva de Deus. Salomão compreendeu as alegrias e virtudes do amor conjugal e escreveu esta canção tão bela. Como disse certo pregador em nossos dias, “Cântico dos Cânticos é certamente uma canção de amor. Não é só a melhor canção de amor que Salomão compôs, mas, acima de tudo, a canção de amor inspirada por Deus e preservada na Escritura”. Neste livro Deus fala-nos sobre a arte de amar, ensina-nos sobre como deve ser o amor entre um homem e uma mulher. Portanto, bem-aventurados seremos se, atentamente, aprendermos deste livro. Permita-me, ainda que de forma sucinta, lembrar-lhes o enredo deste poema. Sulamita e seus irmãos trabalham para Salomão cuidando de suas vinhas (8:11-14). Disfarçado de pastor, o rei Salomão visita suas vinhas, vê a Sulamita e se apaixona por ela (1:1 - 2:7). Ela descreve o tempo que passam juntos como um rico banquete. Na primavera seguinte, ele a pede em casamento, e ela aceita. Contudo, o amado precisa ausentar-se algum tempo com a promessa de voltar. Na ausência do amado, a Sulamita sonha com ele (3:1-5). Então, ele volta e lhe revela que é o rei Salomão. Eles se casam e consumam a união na noite de núpcias (3:6 - 5:1). A declaração da Sulamita é feita em resposta ao questionamento das mulheres acerca da ausência do amado. As mulheres a indagam: PARA ONDE FOI O TEU AMADO? Ela afirma: EU SOU DO MEU AMADO, E O MEU AMADO É MEU. Assim ela nos “apresenta os padrões determinados por Deus para o casamento, ilustrando os privilégios maravilhosos e as responsabilidades sérias que o marido e a esposa têm para com Deus e um para com o outro”, conforme nos ensina Warren Wiersbe. Portanto, aprendemos aqui que O CASAMENTO É UMA ALIANÇA. O Rev. Van Groningen corretamente nos diz que “o casamento é uma aliança estabelecida por Deus, instituída por Deus, e vivida diante de Deus, para expressar simbolicamente a união de Deus e seu povo por meio de um amor real”. Assim devemos compreender o casamento como um relacionamento pactual estabelecido por Deus e seus votos são feitos a Deus. O Profeta Malaquias nos diz: “o SENHOR foi testemunha da aliança entre ti e a mulher da tua mocidade (...) sendo ela a tua companheira e a mulher da tua aliança (...) Portanto, cuidai de vós mesmos, e ninguém seja infiel para com a mulher da sua mocidade”. O propósito do casamento não é fazer o homem feliz, mas, sim, glorificar a Deus e fazer com que a geração seguinte conheça a glória de Deus.  Portanto, o casamento é uma aliança que (1) requer dependência e unidade, pois exige uma entrega total de cada um para o outro; (2) requer fidelidade, pois fundamenta-se nas promessas mútuas; (3) requer a presença de Deus.
1) O CASAMENTO É UMA ALIANÇA QUE REQUER DEPENDÊNCIA E UNIDADE , POIS EXIGE UMA ENTREGA TOTAL DE CADA UM PARA O OUTRO. Na criação da mulher devemos notar a necessidade que o ser humano tem de companheirismo. O homem não foi feito para a solidão, mas para a comunhão, para a comunicação com o outro. “Deus fez a mulher e o homem de modo que a fusão de ambos resulte na verdadeira felicidade”. Eu sou do meu amado e o meu amado é meu. Num casamento nos pertencemos um ao outro. Há também a ideia de complementariedade. O que falta ao homem, a mulher supre, o que falta a mulher, o homem supre. A independência que tiveram até aqui é substituída por uma dependência em amor, amizade e respeito.   O eu, o meu, saem para dar lugar ao nosso. Não são mais dois, mas uma só carne.  No romance de Shakespeare, depois que o leitor sonha com o encontro, Romeu e Julieta morrem. Eu creio que não pode ser outra coisa que deva acontecer no altar senão isto. Ambos se tornam uma só carne. É Deus quem os juntou. E esta união deve ser a mais completa possível. Deve haver união de corpos, de propósitos, mas acima de tudo, uma união de alma. E esta união espiritual é a mais importante de todas, pois é a união da fé, da esperança e do amor que vem de Deus. O casal deve ter a mesma fé em Deus. Eu e minha casa serviremos ao Senhor e, assim, esta união se projetará para a eternidade e os frutos dessa união, os filhos, terão um ambiente harmonioso para crescerem.
2) O CASAMENTO É UMA ALIANÇA QUE REQUER FIDELIDADE, POIS FUNDAMENTA-SE NAS PROMESSAS MÚTUAS. Na declaração apaixonada da Sulamita fica claro o senso de dependência mútua, que é refletido em FIDELIDADE. “Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu”. Somente a fidelidade conjugal em todos os momentos da vida pode trazer segurança. É um muro protetor com cerca eletrificada e portões fechados com cadeados de segredo que somente o casal conhece. Deus estabeleceu a intimidade sexual, a qual deve ocorrer dentro do contexto do casamento. “Um lar cristão consagrado é a coisa mais parecida com o céu que se pode experimentar na Terra, e começa com um casamento cristão”. “O significado mais elevado e o propósito mais sublime do casamento é o de manifestar a relação pactual entre Cristo e Sua igreja. Viver esta verdade, e mostrar essa verdade, é o que significa, mais profundamente, ser casado. Essa é a razão mais elevada para o casamento existir. Há outras razões, mas essa é a principal” (John Piper). Deus fez o casamento indissolúvel. “O que Deus ajuntou não o separe o homem”. O casamento, diante de Deus e de todas as testemunhas na cerimônia, é um pacto, onde o marido e a mulher prometem compromisso e fidelidade. A aliança que carregam no dedo anelar é um sinal destas promessas.  A Palavra de Deus afirma que “Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros” (Hebreus 13:4).
3) O CASAMENTO É UMA ALIANÇA QUE REQUER  A PRESENÇA DE DEUS.
Cada um dos aspectos que formam o casamento é importante, mas não é a base do mesmo. É importante a casa, o amor, a amizade, o dinheiro, mas a base mesmo é o SENHOR. Todo casamento deve ter suas amarras em Deus que uniu o homem e a mulher. Se assim não for o relacionamento não permanecerá. Bruno e Thalita, você precisam ver além das emoções, viver além das emoções. Vivam na certeza da graça e da presença de que Deus os uniu. A Bíblia nos relata que o primeiro milagre de Jesus ocorreu numa festa de casamento em Caná da Galileia. A presença de Jesus naquela festa foi a solução de um problema circunstancial, mas que foi resolvido porque Jesus estava ali. Assim, Bruno e Thalita, a base desse enlace é a presença de Jesus. A busca contínua da comunhão com Cristo e a obediência aos seus ensinos são indispensáveis para um matrimônio feliz. Sem Deus corremos o risco de construirmos um relacionamento de frustração, tristeza e dor. A chave de uma vida conjugal, familiar plena de alegria e felicidade está na presença de Jesus em nosso relacionamento.

Jamais devemos esquecer que o casamento é uma aliança que (1) requer dependência e unidade, pois exige uma entrega total de cada um para o outro; (2) requer fidelidade, pois se fundamenta nas promessas mútuas; (3) requer a presença de Deus. E assim vivamos esse amor intensa e maravilhosamente sob a bênção do SENHOR. 

Nenhum comentário: