domingo, outubro 11, 2015

CINZA E LÁGRIMAS

1 
 No Salmo102:9 lemos: "POIS ME ALIMENTO DE CINZA, COMO SE FOSSE PÃO;E LÁGRIMAS MISTURO A MINHA BEBIDA".
O salmista usa cinza e lágrimas para descrever seu momento de angústia e dor. A Bíblia King James Atualizada ao comentar este versículo afirma que “na profunda angústia e depressão o prato mais saboroso não tem melhor paladar do que a cinza”.  A vida havia perdido seu sabor e havia somente tristeza e dor. Qual a razão disso? O salmista responde no verso seguinte: “Por causa da tua indignação e da tua ira, tu me ergueste e arrojaste ao chão”. O Rev. Elben L. Cézar compreendeu bem a mensagem do salmista e diz: “O culpado é o próprio salmista. Ele está bebendo e comendo o que plantou. É a lei inexorável de causa e efeito: O que o homem semear, isso também colherá (Gl 6.7)".
Muitas vezes nossos sofrimentos são frutos, são frutos amargos, que decorrem da nossa atitude e de erros que cometemos. Por causa disso, sofremos. Jeremias, o profeta, estava aflito, angustiado e profundamente triste. E afirma no livro das Lamentações: “Minha alma, continuamente, os recorda (aflições) e se abate dentro de mim” (Lm 3:20). E a causa de sua depressão era o juízo de Deus sobre seu povo, por causa da sua desobediência. Contudo, o profeta não permanece ali, na tristeza e no choro, ele declara: “Quero trazer à memória o que me pode dar esperança” (Lm 3.21). Então, se lembra que Deus é misericordioso e que as suas misericórdias não tem fim. Deus, por causa de Sua graça e bondade, restaura e transforma nossa vida!
Devemos nos avaliar, reexaminar  e fazer uma auto-análise. É preciso descobrir nossos erros e pecados e tudo que tenhamos feito que nos levou à depressão. Devemos ainda confessá-los e abandoná-los e, assim, nos aprimorar.  Deus transforma o nosso mal em bem, pois está trabalhando em nós a fim de que tenhamos a imagem de Cristo. 

sexta-feira, setembro 11, 2015

ORAÇÃO DE UM PEREGRINO

Caminhando a passos largos,
Prossigo em direção ao alvo.
Há muitos obstáculos,
Mas com Cristo persevero na jornada.
Nele encontro forças.
Em Sua Palavra, direção.
Mesmo em vales escuros,
Guia-me Sua mão.
Almejo atravessar o rio,
Entrar na cidade celestial.
Aqui não é meu lugar,
Sou peregrino neste mundo.
Sofro e me entristeço,
Não pelos meus açoites,
Mas por muitos que se perdem.
Estes caminham errantes,
Rejeitam a Cristo e sua salvação.
Permanecem em trevas,
Vagueando em plena escuridão.
Por isso oro e a Deus clamo:
Pai permita que, por onde passar,
Posso eu anunciar a Tua verdade,
Proclamando Teu Evangelho,
E que o Teu Santo Espírito venha
Dos incautos os olhos iluminar! 

quarta-feira, agosto 26, 2015

DEUS E A BICICLETA

Jorge, um garoto meigo, educado e bom filho, ao completar seus sete anos ganha sua primeira bicicleta. A alegria lhe invade a alma e o coração. O sorriso surge em sua face. Entusiasmado, pensa logo em se divertir, contudo, para sua própria segurança é necessário o uso das “rodinhas”, que lhe dão equilíbrio e o impendem de cair.  Sentindo-se seguro e “homem” bastante resolve tirar logo as “rodinhas”, afinal já tem sete anos! Sob o olhar paterno, atento e amoroso, Jorge aventura-se a demonstrar sua habilidade. Porém, desequilibra-se, cai e sofre vários arranhões. Frustrado, envergonhado e com medo de não conseguir desanda a chorar. Em sua decepção se vê tomado pelos braços paternos, os quais dispensam carinho, cuidado e estímulo para aventurar-se novamente até alcançar seu objetivo. Em nossa infância é tão maravilhoso quando desfrutamos da segurança e conforto que nossos pais nos proporcionam!
Ao ler a declaração do salmista que afirma que “o SENHOR cuida das pessoas simples; quando já não tinha mais forças, Ele me salvou” (Salmo 116.6), pude perceber que, do mesmo modo que o pai do Jorge, Deus está sempre pronto para dispensar amor, graça e refúgio àqueles que se acham frustrados e decepcionados com os tombos que a vida nos proporciona. Na vida, muitas vezes, nos desequilibramos, caímos e sofremos muitos arranhões, principalmente quando nos pautamos em nossa autossuficiência. Pessoas simples são como crianças que evidenciam plena confiança e total dependência no pai e correm para se refugiar em seus braços. Quando nos despimos de nossa própria vaidade e abandonamos nosso orgulho e recorremos à graça e à misericórdia de Deus experimentamos um novo alento e podemos também dizer: “quando já não tinha forças, Deus me salvou”.

quinta-feira, julho 30, 2015

AQUIETAI-VOS, POIS EU SOU DEUS - SALMO 46


Quando há trevas em pleno meio dia,
E a dor e o choro roubam minha alegria,
Ouço meu Salvador dizer: Aquietai-vos, pois Eu Sou Deus!

Quando os montes se abalam no seio dos mares,
E ainda que a terra estremeça e me sobrevenham males,
Ouço meu Salvador dizer: Aquietai-vos, pois Eu Sou Deus!

Quando atormentado pelos meus medos,
E o vigor da vida se esvai pelos vãos dos dedos,
Ouço meu Salvador dizer: Aquietai-vos, pois Eu Sou Deus!

Deus é minha fortaleza e meu socorro,
Nele tenho paz e segurança; e sempre quando clamo,
Ouço meu Salvador dizer: Aquietai-vos, pois Eu Sou Deus!


quarta-feira, julho 08, 2015

A INSENSATEZ HUMANA E A SOBERANIA DE DEUS - UMA REFLEXÃO NO SALMO 2

 No salmo 01 há um contraste entre aquele que teme a Deu s, que ouve a Sua Palavra e torna-se frutífero com o ímpio, que  é   como  palha  que  o vento  dispersa, o qual não prevalecerá no dia do juízo. No salmo 2 o contraste é entre a Soberania de Deus e a insensatez do ser humano. Deus é Aquele que está conduzindo toda a história para o seu fim. É Ele quem   governa sobre tudo e todos. Contudo, a maioria da humanidade é obtusa e ignorante, pois não consegue ver a mão de Deus por detrás da história. Assistimos em nossos dias manifestações do juízo divino, convidando-nos a buscá-Lo. Atentados terroristas, guerras, tsunamis e catástrofes têm sido interpretados  meramente como consequência do desajuste social e ecológico e não como   um   chamado   ao   arrependimento.   São tipos do juízo de Deus que nos apontam para o dia de Cristo, quando todos nós compareceremos ante o tribunal de Cristo e, neste dia, não haverá  oportunidade para arrepender-se. Por isso a Bíblia nos exorta: “Busquem o SENHOR enquanto é possível achá-lo; clamem por ele enquanto está perto. Que o ímpio abandone os seus caminhos e o homem mau, os seus pensamentos. Volte-se   ele   para o SENHOR,   que   terá misericórdia dele; volte-se para o nosso Deus, pois Ele dá de bom grado o seu perdão”. O nosso salmo tem como característica distintiva o discernimento da crise   cósmica   por   detrás   de   um   acontecimento   de caráter  nacional”. Historicamente o  objeto  do  ataque dos   ímpios   era   Davi,   o   ungido   do   Senhor   e, essencialmente,   era   uma   rebelião   contra   o   próprio Deus. Mas o Novo Testamento interpreta nosso salmo com referência a Jesus, o Cristo (veja: Atos 4.25-28). A ação de   rebeldia contra Deus   é   descrita como murmuração, isto é, resmungar consigo mesmo. Este murmurar é próprio do ímpio, pois este se revela sempre insatisfeito e disposto a acusar o próprio Deus. Contudo, o cristão, tal como José no Egito, é capaz de enxergar   a   ação   soberana   de   Deus,   não   obstante a aparente adversidade (veja: Gênesis 45.7,8). Por isso a exortação bíblica: “... ó reis, sejam prudentes; aceitem a advertência, autoridades da terra. Adorem o SENHOR com temor; exultem  com tremor. Beijem o filho, para que ele   não se ire e vocês não sejam destruídos de repente, pois num instante acende-se a sua ira. Como são felizes todos os que nele (em Cristo)se refugiam!”

segunda-feira, junho 08, 2015

UM CONVITE ESPECIAL DE DEUS PARA VOCÊ


Deus está esperando derramar Sua presença santa e Seu poder em sua vida. Ele anseia purifica-lo e libertá-lo da escravidão do pecado. Ele quer purifica-lo e transformá-lo na imagem completa de Cristo (Romanos 8.29 e 1 Tesssalonicenses 5.23). Entretanto, não pense em começar o processo só para ser “abençoado”. Participe dele porque Deus é santo e merece sua total rendição. Faça isto porque você ama a Jesus e quer agradá-Lo. Que sua motivação não seja egoísta, mas um desejo genuíno de adorar a Deus em santidade. De acordo com 1 João 3.3, todos os salvos têm um desejo profundo de se purificarem. De fato, nós não podemos agradar a Deus se não temos um estilo de vida de profunda santidade. Em Hebreus 12.14 lemos: Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor. O Rev. J. I. Packer afirmou que a busca da santidade é evidentemente uma prioridade cristã; contudo, é uma prioridade que os crentes, hoje em dia, por hábito negligenciam. Lamentavelmente, são verdadeiras suas declarações. A Bíblia fala-nos de uma vida plena, abundante, cheia do Espírito Santo. O único caminho que pode conduzir-nos a uma vida plena é o caminho da santidade. Isto porque santidade é intimidade consagrada com Deus. Santidade é, em essência, obedecer a Deus, viver com Deus e para Deus, imitar a Deus, observar sua lei (...) seguir os ensinamentos de Cristo e seus exemplos. Devemos aprender com Isaque: Então Isaque partiu dali e, acampando no vale de Gerar, lá habitou. E Isaque tornou a cavar os poços que se haviam cavado nos dias de Abraão seu pai, pois os filisteus os haviam entulhado depois da morte de Abraão; e deu-lhes os nomes que seu pai lhes dera. Cavaram, pois, os servos de Isaque naquele vale, e acharam ali um poço de águas vivas (Gn 26.17,18). Devemos voltar as Escrituras e redescobrir o que ela nos ensina sobre a santidade e, certamente, acharemos "um poço de águas vivas". Deus está agora esperando encontra-lo com Sua Palavra purificadora. Ele está pronto para perdoá-lo completamente e enchê-lo com Ele mesmo.

terça-feira, junho 02, 2015

PREPARE-SE PARA A LUTA!

Alguns pecados podem representar fortalezas espirituais e pode levar algum tempo até que você experimente a manifestação plena de vitória. Às vezes crentes pensam que estão fazendo alguma coisa errada porque não sentem vitória instantânea após uma simples oração ou confissão. Lembre-se, este processo de crescimento é diário, não um único evento. Você tem um Pai celestial que o guiará por todo o caminho! O apóstolo Pedro nos exorta: Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar (1 Pd 5:8). A. W. Pink faz uma importante observação sobre este texto: Este versículo nos apresenta um aspecto da Verdade acerca do qual há ampla ignorância entre os crentes. Com frequência, eles se mostram inconscientes de que o "diabo" os está atacando e precisa ser resistido. Muitos supõem que as investidas de Satanás estão limitadas às tentações para que pequemos. Isto não é verdade; em muitos casos, o objetivo dele é opor-se e impedir-nos de fazer o que é bom. Constantemente, ele utiliza os seres humanos a fim de atrapalhar-nos e inquietar-nos. Por exemplo, ele enviará alguém para bater à porta ou chamar-nos ao telefone, quando estamos orando. Ele mandará parentes visitarem-nos no domingo, impedindo-nos assim de gastar tempo na comunhão com o Senhor. Ou criará "circunstâncias" para obstruir nosso progresso espiritual, multiplicando nossos deveres e tarefas, de modo que não tenhamos tempo livre ou fiquemos muito cansados para estudar a Bíblia. De acordo com a Palavra de Deus o nosso inimigo é real e precisamos saber que Satanás odeia o que você está querendo fazer nesta jornada. Ele está atemorizado com a possibilidade de você desfrutar uma vida íntima com Deus e ter uma vida cheia do Espírito. O diabo sabe que você pode descobrir o tremendo poder através da oração e da meditação na Palavra de Deus e vai tentar de todas as formas impedir que você termine sua jornada de avivamento. Mas não se esqueça de que satanás é um mentiroso e já foi derrotado. Deus também não deixou seu povo aqui à mercê de seu grande inimigo, sem meios para vencê-lo. De maneira alguma; Ele nos ensina em sua Palavra como podemos derrotá-lo: Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós (Tiago 4.7). Em outras palavras, ao escolher confessar os seus pecados e render-se a Deus, você poderá mandar o diabo embora em nome de Jesus. Não permita que satanás o engane e o tire da sua jornada de purificação com Deus.

Leia Efésios 6.10-20. Ore para que o Espírito Santo o revista com toda a armadura de Deus.

terça-feira, maio 26, 2015

FORTALECENDO-NOS NO SENHOR

Ao escrever a igreja de Éfeso, o apóstolo Paulo lhes disse: Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo (Ef. 6.11). A vida cristã é uma luta. Estamos em guerra contra o mundo, a carne e o diabo e, assim, é necessário estar sempre alerta, vigiando e orando, pois podemos ser atacados a qualquer momento e devemos estar prontos para a batalha. Não devemos nos esquecer de que só seremos vitoriosos se nos fortalecermos diariamente no Senhor! Nunca estive num campo de batalha. Contudo, imagino ser algo terrível. Deve existir um misto de bravura, valentia com medo, dor, perdas e traumas. No combate espiritual também é assim. Muitas vezes nos mostramos destemidos e, ao mesmo tempo, somos invadidos pelo medo, incertezas e insegurança; fruto da compreensão de quem somos: fracos, débeis, imperfeitos e limitados. Daí a necessidade de sermos fortalecidos no Senhor diariamente. Deus é a nossa força. “Tudo posso Naquele que me fortalece”, afirmou Paulo. Leitura bíblica e oração são indispensáveis em nosso fortalecimento. Devemos andar com o Senhor, ouvindo suas instruções e lançando sobre Ele as nossas ansiedades e caminhando inteiramente em Sua dependência. Além disso devemos nos revestir com a armadura de Deus! Em uma nota da Bíblia King James li: “Para vencer ‘a guerra dos séculos’, o cristão sincero precisa de uma estratégia defensiva e ofensiva. Primeiramente assumir uma posição de defesa, armando-se da verdade (Efésios 4.15), justiça e santidade (Romanos 6.13 e Hebreus 12.14), fé absoluta nas promessas do Senhor, e certeza pessoal da salvação (1 Ts. 5.8; Hebreus 6.11). Em seguida, investir contra os inimigos da nossa alma, empunhando a espada do Senhor, que é a Palavra de Deus (Hebreus 4.12) e com a oração, que abre nossa boca para revelar ao mundo o poder do testemunho e da pregação do Evangelho (Efésios 6.19,20)”.

terça-feira, maio 19, 2015

DEUS QUE CONFORTA OS ABATIDOS - Rev. Arival Dias Casimiro

Porém Deus, que conforta os abatidos, nos consolou com a chegada de Tito                              (2Coríntios 7.6).
Theodore Roosevelt diz: “Nunca houve um homem que viveu de maneira fácil e cujo nome seja digno de ser relembrado”. Francisco Otaviano, poeta do século XIX, escreveu em seus versos: "Quem passou pela vida em branca nuvem, e em plácido descanso adormeceu; quem não sentiu o frio da desgraça, quem passou pela vida e não sofreu; foi espectro de homem, não foi homem. Só passou pela vida, não viveu". Se Deus o chamou para ser seu discípulo, você não terá uma vida fácil. Lembre-se apenas, que quanto mais sofrimento, mais conforto divino. A promessa contida nesse versículo ensina-nos três verdades consoladoras:
Primeira, Deus é quem conforta. Deus é a fonte da consolação que você precisa. Ele está com você, ao seu lado, para lhe ajudar. Ele é o Deus de toda consolação. O seu conforto é pessoal, divino, completo e eficaz. O salmista declara: “O SENHOR está comigo entre os que me ajudam” (Sl 118.7). Deus é nosso ajudador em todos tempos. Ele é o nosso consolador amado. 
Segunda, Deus conforta os abatidos. O termo “abatido” indica alguém que foi atingido, mas não destruído. Paulo declara: “perseguidos, porém não desamparados; abatidos, porém não destruídos” (2Co 4.9). O cristão ainda que caia, atingido por tribulações e tentações, jamais ficará prostrado, pois Deus o sustém com a sua mão poderosa. “O SENHOR firma os passos do homem bom e no seu caminho se compraz; se cair, não ficará prostrado, porque o SENHOR o segura pela mão” (Sl 37.23-24). O salmista declara: “O SENHOR abre os olhos aos cegos, o SENHOR levanta os abatidos, o SENHOR ama os justos” (Sl 146.8).
Terceira, Deus conforta usando outras pessoas. Paulo foi confortado com a chegada de Tito. Deus coloca pessoas especiais em nossas vidas, em momentos difíceis, como intuito de nos consolar e nos encorajar. As pessoas entram em nossas vidas aparentemente por acaso, mas não é por acaso que elas permanecem. Deus é o criador das verdadeiras amizades. Uma boa definição de amigo é essa: “Amigo é aquele que sabe tudo a seu respeito, mas mesmo assim, continua sendo seu amigo”. Jesus sabe tudo a nosso respeito, mas longe de odiar-nos, Ele nos ama. Jesus é o melhor amigo!

Rev. Arival Dias Casimiro

sexta-feira, março 27, 2015

A PALAVRA DE DEUS É VIVA

Em Hebreus 4.12-13 a Palavra de Deus é retratada como sendo uma espada de dois gumes que corta penetrando o ser da pessoa, para expor e julgar seus pensamentos e motivações mais íntimos. Com isso Deus penetra nossos corações com sua Palavra e nos deixa descobertos diante de seus olhos. Aqui o texto nos recorda um criminoso sendo levado ao tribunal ou para execução. Freqüentemente um soldado segurava um punhal sob o queixo do criminoso para forçá-lo a erguer a cabeça para que todos pudessem ver quem ele era. De modo semelhante, a Escritura nos expõe o que realmente somos e nos força a encarar a realidade do nosso pecado. Mas a Escritura também reprova o ensino errôneo. O apóstolo João revela o poder da Palavra como verdade, quando diz que os crentes que vencem o maligno o fazem porque são fortes e a Palavra de Deus permanece neles. Crentes que têm um amplo entendimento da veracidade bíblica não são como crianças sem discernimento, mas são como jovens fortes que podem facilmente reconhecer a falsa doutrina, evitando ser "...como meninos agitados, de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro". Jesus disse: "Não só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que procede da boca de Deus". A Escritura é o nosso alimento espiritual. Pedro disse que deveríamos desejar o alimento da Palavra, com o mesmo desejo com que o bebê anseia pelo nutrimento do leite. Tiago afirmou: "...despojando-vos de toda a impureza e acúmulo de maldade, acolhei, com mansidão, a palavra em vós implantada..."(Tg 1.21). Esta é a nossa parte. Devemos receber a Palavra com um coração puro e uma atitude humilde. Enquanto o fazemos, ela progressivamente renova e transforma nosso pensamento, atitudes, ações, palavras, tornando-nos em pessoas segundo o coração de Deus.               

segunda-feira, março 16, 2015

SOB AS ASAS DE DEUS - RUTE 2

Há uma expressão neste capítulo que resume todo o seu conteúdo, a qual eu tomo emprestado para intitular a mensagem de hoje: SOB AS ASAS DEUS. Boaz descreve Rute (v. 12) como alguém que buscou abrigo sob as asas de Deus. Domingo passado, citando Warren Wierbse, disse: “Rute... creu no Deus de Israel (2:12). Havia passado por provações e decepções, mas em vez de culpar a Deus, creu nele e não se envergonhou de confessar sua fé. Apesar do exemplo negativo da família desobediente do marido, Rute conheceu o verdadeiro Deus vivo, e seu desejo era ficar com o povo de Deus e habitar na terra do Senhor. A conversão de Rute é prova da graça soberana de Deus, pois os pecadores só podem ser salvos pela graça (Ef 2:8-10). Tudo dentro dela e a seu redor representava uma série de obstáculos para a fé, e, no entanto, ela creu no Deus de Israel”. Hoje acrescentaria que Rute não só creu em Deus, mas buscou Nele abrigo. Assim, as palavras de Jesus se cumpriram em Rute: Vinde a mim todos os que cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei. Este é o Deus a quem servimos, um Deus que sempre está pronto a nos amparar, dispensar cuidados. Quando olhamos a história de Rute aprendemos que:
1. SOB AS ASAS DE DEUS DESFRUTAMOS DE DIREÇÃOPor trás de ações fortuitas, Deus nos direciona, ou seja, aquilo que para nós é meramente “sorte”, “acaso”, “destino” na verdade é Deus dirigindo nossas vidas segundo o Seu propósito. O capítulo 2 começa introduzindo um novo personagem à história: Boaz. Ele era “uma ‘pessoa poderosa’ - alguém cuja riqueza e alta reputação em Belém lhe deram forte influência entre seus pares” (cf. Hubbard Jr) e também parente de Elimeleque. A Bíblia nos diz que Rute, por casualidade, entrou na parte do campo que pertencia a Boaz. Na minha versão  lemos: “por coincidêndia”. Um estudioso bíblico declara sobre este versículo: “Temos aqui uma reafirmação da fé do autor na graciosa providência de Deus. O escritor sabe, como também os leitores, que não foi uma "sorte" ou "casualidade" acidental. O que para Rute foi uma mera coincidência em um conjunto de circunstâncias não planejadas, entendemos (como Noemi entendeu mais tarde naquele dia; 2:20) que foi parte da obra do cuidado gracioso de Deus”. Quando buscamos a Deus e nEle nos abrigamos podemos ter a certeza que Ele nos dirige os passos.  “A vida parece (como deve ter sentido Noemi em suas amargas experiências) um emaranhado de fios desconexos. Mas a fé na graciosa providência divina traz consigo a certeza de que aqueles fios emaranhados são apenas o avesso de uma tapeçaria, cujo lado direito apresenta uma mensagem de esperança e graça”.
2. SOB AS ASAS DE DEUS DESFRUTAMOS DE PROTEÇÃO – A Palavra de Deus nos ensina que Deus habita com o contrito e o humilde de espírito. No versículo 2 vemos a iniciativa de Rute em cuidar de sua sogra. Observe que Noemi não manda Rute sair e trabalhar. Ela mesma diz: “Deixa-me ir ao campo, e apanharei espigas atrás daquele em cujos olhos eu achar graça.” Rute se comprometeu com Noemi com uma dedicação incrível e ela toma a iniciativa de trabalhar e sustentá-la. É possível também r, ver a humildade de Rute. Ela sabe como tomar a iniciativa sem ser presunçosa. No versículo 7, segundo o relato dos servos de Boaz, Ela disse: “Deixa-me colher espigas, e ajuntá-las entre as gavelas após os segadores”. Ela não demanda uma parte da colheita. Ela não pressupõe o direito de recolher mesmo. Tudo o que ela quer é recolher as sobras depois que os ceifeiros terminarem e ela pede permissão até para fazer isso. John Piper afirma que Rute “é como uma outra mulher estrangeira que veio para Jesus e disse: “Senhor, até os cachorrinhos comem as migalhas debaixo da mesa dos seus senhores”, à qual Jesus respondeu, exaltando sua fé. Rute sabe tomar a iniciativa, mas ela não é agressiva ou arrogante, mas mansa e humilde”. Por esta postura humilde Deus dispensa do seu cuidado e proteção. É interessante observar que Boaz veio supervisionar o trabalho dos segadores no momento em que Rute estava ali. E, ao tomar conhecimento de de quem era ela, agiu com misericórdia:
vv. 8, 9 - “Então, disse Boaz a Rute: Ouve, filha minha, não vás colher em outro campo, nem tampouco passes daqui; porém aqui ficarás com as minhas servas. Estarás atenta ao campo que segarem e irás após elas. Não dei ordem aos servos, que te não toquem? Quando tiveres sede, vai às vasilhas e bebe do que os servos tiraram”
vv. 14,15 – “À hora de comer, Boaz lhe disse: Achega-te para aqui, e come do pão, e molha no vinho o teu bocado. Ela se assentou ao lado dos segadores, e ele lhe deu grãos tostados de cereais; ela comeu e se fartou, e ainda lhe sobejou.  Levantando-se ela para rebuscar, Boaz deu ordem aos seus servos, dizendo: Até entre as gavelas deixai-a colher e não a censureis”.
Deus usou Boaz para dispensar sua proteção sob Rute. John Piper afirma: “Por que Deus deveria mostrar misericórdia para com Rute? Porque ela buscou refúgio sob as suas asas. Ela contou com a proteção divina. Ela fixou seu coração em Deus para sua esperança e alegria. E quando uma pessoa faz isso, a honra de Deus está em jogo e Ele será misericordioso. Se você invocar o valor de Deus como a fonte de sua esperança em vez de invocar o seu próprio valor como fonte de esperança, então o firme compromisso de Deus para com o seu próprio valor irá englobar todo o coração d’Ele para sua proteção e alegria”.
3. SOB AS ASAS DE DEUS D ESFRUTAMOS DE RENOVAÇÃO
 O capítulo 1 termina com a declaração de Noemi: Ditosa eu parti, porém o SENHOR me fez voltar pobre; por que, pois, me chamareis Noemi, visto que o SENHOR se manifestou contra mim e o Todo-Poderoso me tem afligido?”. É interessante observar que, muitas vezes, nós focamos tanto nossos problemas e angústias que não percebemos o agir de Deus na nossa história. Assim foi com Noemi. Tão angustiada com suas dificuldades e tão amargurada da vida que não percebe que Deus pôs fim a fome em Belém e a dispôs a voltar; também Lhe deu uma “filha” para acompanha-la e preservou um parente de seu marido, para dar resgatar Rute e dar continuidade à família de Noemi. O retorno de Rute, ao final de um dia de trabalho, trazendo surpreendentemente uma quantidade significativa de cereal e também o que sobrou da refeição oferecida por Boaz a Rute, fez com que Noemi percebesse o agir de Deus em sua própria vida. Wierbse afirma que “este foi o primeiro evento feliz para encantar Noemi desde o cap. 1”.  Descobriu-se, então, um regatador, alguém que poderia dar continuidade à sua família. John Piper: “Rute trabalha até a tarde. E ela volta para Noemi e dá-lhe as sobras do almoço e todo o grão (v. 17-19). Ela diz o que aconteceu com Boaz, e a teologia de Noemi sobre soberania de Deus, no versículo 20, lhe serve bem. Ela diz, “Bendito seja ele do SENHOR, que ainda não tem deixado a sua beneficência nem para com os vivos nem para com os mortos.”
"Eu acho que a bondade que ela se refere é a bondade do Senhor. Deus tinha começado a mostrar bondade para com os vivos e mortos. Foi o Senhor que parou a fome. Foi o Senhor que vinculou Rute a Noemi em amor. Foi o Senhor que preservou Boaz para Rute. A luz do amor de Deus finalmente rompeu brilhante o suficiente para Noemi ver. O Senhor é bom. Ele é bom para todos que se refugiam debaixo das suas asas. Por isso, vamos cair em nossos rostos, curvar-nos diante do Senhor, confessar a nossa indignidade, buscar refugio sob as suas asas, e nos maravilhar com sua graça”, afirmou John Piper.
Segurança, refrigério, quietude, auxílio, descanso, esperança: estas são as palavras associadas com as "asas" de Deus. Jamais devemos esquecer que em todas as amargas experiências que os filhos Deus enfrentam Deus tem traçando algo para a sua glória. E se nós acreditarmos nisso e lembrarmos-nos disso veremos o revelar da graça em nossas vidas.

quinta-feira, março 12, 2015

LIÇÕES DA PROVIDÊNCIA DIVINA

Em nossa caminhada com Deus muitas vezes nós somos surpreendidos com situações que não compreendemos e que nos causam angústia e dor. Ao longo da história do cristianismo vemos muitos homens e mulheres que perderam suas vidas por amor a Cristo. Em 15 de fevereiro p.p.,  foi divulgado um vídeo na internet, cujo título era "Uma mensagem assinada com sangue para a nação da cruz".  Neste vídeo nós vemos reféns (cristãos coptas) de mãos amarradas nas costas, ajoelhados e cruelmente sendo degolados por terroristas do estado islâmico. Diante de um quadro destes muitos indagam: onde está Deus? Se Deus existe, porque há tanto sofrimento no mundo?  Deus é bom e o homem é mau, afirma o Rev. Elben L. César, Deus age de um modo e os homens de outro. Podemos sempre esperar o melhor da parte de Deus. Podemos sempre esperar o pior da parte dos homens.  O Rev. A. W. Pink nos lembra que “devemos estar preparados para os reveses que a Providência permite”.
O livro de Rute foi escrito no período dos juízes. Um período, de aproximadamente 350 anos, que começou depois da morte de Josué e terminou com a coroação do rei Saul. Esse tempo foi marcado pela instabilidade política, o colapso moral e a infidelidade espiritual. A BKJ afirma que este período foi “um tempo de apostasia, confusão, degradação moral e muita tristeza”. O último versículo do livro de Juízes descreve bem este  tempo: “Naqueles dias, não havia rei em Israel; cada um fazia o que achava mais reto”. É neste contexto de confusão e caos político, social e moral que encontramos a história de Rute. John Piper afirma que “o livro de Rute é uma história que mostra como Deus se move de maneira misteriosa, e maravilhosa. Essa é uma história para pessoas que se perguntam onde está Deus quando não há sonhos, visões ou profetas. É para pessoas que querem saber onde Deus está quando uma tragédia após a outra ataca a sua fé. É uma história para as pessoas que se perguntam se uma vida de integridade em tempos difíceis vale a pena”. Assim quero convidá-los a aprender, neste livro, LIÇÕES SOBRE A PROVIDÊNCIA DE DEUS.

1ª LIÇÃO: Alguns reveses que enfrentamos são decorrentes de não crermos na providência de DeusUm poeta inglês chamado William Cowper disse: “Não julgue o Senhor com débil entendimento, mas  confie na Sua graça. Atrás de uma providência carrancuda Ele esconde uma face sorridente”. O apóstolo Paulo nos ensina: “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem d aqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Rm 8.28). Podemos não compreender  e ficar perplexos diante de circunstâncias que a vida nos impõe, mas devemos lembrar que Deus compreende e está no controle de todas as coisas. Diante da crise que assolou a nação (talvez por causa da sua infidelidade do povo a Deus), a qual trouxe fome e miséria, Elimeleque decidiu sair da terra prometida, da “casa do pão” (Belém) ir morar no estrangeiro entre aqueles a quem Deus havia proibido a nação de se misturar. Tentou “ajudar” a Deus na resolução das suas dificuldades, em vez de confiar em Deus. O Rev. Hernandes Dias Lopes afirma que “Elimeleque, Noemi, Malom e Quiliom escolheram fugir, em vez de enfrentar a crise. Eles apostaram que a crise era irremediável e que o caminho da fuga era a única rota de escape. Contudo, fugir nem sempre é a alternativa mais segura e sensata. Na hora da crise, devemos olhar para Deus, em vez de mirarmos apenas as circunstâncias. Quando somos encurralados pelas circunstâncias adversas, precisamos acreditar que Deus está acima e no controle delas”. Quais os resultados? Foram a Moabe em busca de sobrevivência e encontraram a morte, foram  em busca do pão e lhes sobreveio a doença e a tristeza.

2ª LIÇÃO: Deus é misericordioso e, providencialmente, transforma o mal em bemViver a vida cristã não é viver por meio de suas próprias forças, recursos e realizações. Viver a vida cristã é viver mediante Cristo e mediante os recursos que Ele nos coloca a disposição. Quando vivemos por meio de nossas próprias forças e capacidade (e isto é religiosidade) a tendência é nos exaurirmos e cairmos extenuados, desanimados e frustrados. Foi isso que ocorreu com família de Noemi. Por não crerem na revelação de um Deus providente e buscarem nas próprias realizações a superação da crise, falharam. Por isso Noemi declara: Não me chameis Noemi; chamai-me Mara, porque grande amargura me tem dado o Todo-Poderoso. Ditosa eu parti, porém o SENHOR me fez voltar pobre; por que, pois, me chamareis Noemi, visto que o SENHOR se manifestou contra mim e o Todo-Poderoso me tem afligido? Quando chegamos neste ponto pensamos: não tem mais jeito. Deus  não voltará a ser misericordioso comigo. É assim que o inimigo quer que pensemos. Isaías descreve o ministério de Jesus assim: Não esmagará a cana quebrada, nem apagará a torcida que fumega. As vezes os reveses da vida (que muitas vezes são frutos da nossa insensatez) nos fazem sentir como um bagaço, inútil e sem valor. E a Palavra nos diz que Deus não esmagará a cana quebrada, nem apagará a torcida que fumega.  Deus não se livra daqueles que se viram queimados pela vida. Deus nos restaura. Mais uma vez John Piper nos diz: Não só Deus reina em todos os assuntos dos homens, e não só a sua providência, por vezes, é difícil, mas em todos as suas obras são feitas para o bem e a felicidade de seu povo. Quem teria imaginado que no pior de todos os tempos, o período de juízes, Deus estava se movendo em silêncio nos dramas de uma única família para preparar o caminho para o maior rei de Israel? Mas não só isso, ele estava trabalhando para preencher Noemi, Rute, Boaz e seus amigos com grandes alegrias. Se alguma coisa aconteceu na sua vida que fez o seu futuro parecer perdido, aprenda com Rute que Deus está trabalhando nesse momento para dar-lhe um futuro de esperança. Confie nele, espere pacientemente. As sinistras nuvens estão cheias de grande misericórdia e vão liberar com as bênçãos sobre sua cabeça
“Nem o Antigo Testamento nem no Novo Testamento prometem que os crentes vão escapar das aflições da vida. Mas, suponha que a calamidade de Noemi foi devido à sua desobediência. Isso faz com que a história seja duplamente encorajadora, porque mostra que Deus deseja e é capaz até mesmo para transformar os seus juízos em alegrias. Se Rute foi trazida para a família por causa do pecado, é duplamente surpreendente que ela é feita a avó de Davi um antepassado de Jesus Cristo. Nunca pense que o pecado de seu passado significa que não há esperança para o futuro”O Rev. Hernandes em seu comentário deste livro nós trás algumas aplicações interessantes. Destacamos duas das suas ênfases:
Em primeiro lugar, a providência do Altíssimo é maior do que a tragédia humana. Deus transforma vales em mananciais, nossas tragédias em cenários de esperança. Ele enxuga nossas lágrimas, acalma a nossa dor e coloca os nossos pés na estrada da mais esplêndida vitória ...  Quando a nossa causa parece perdida, com Deus ela não está perdida. Quando julgamos que as circunstâncias suplantaram nossa esperança, o Deus que chama à existência as coisas que não existem nos faz triunfar no deserto das nossas crises.
Em segundo lugar, as tragédias humanas jamais podem anular os soberanos propósitos de Deus. O livro de Rute é essencialmente um livro sobre a soberania de Deus. A implicação por toda a obra é que Deus está vigiando Seu povo, fazendo acontecer a eles o que é bom. O livro é a respeito de Deus. Ele governa sobre todas as coisas e abençoa os que confiam nEle.
 

sexta-feira, fevereiro 20, 2015

ANDANDO CONSTANTEMENTE COM DEUS

No Salmo 16 Davi declara: “Tenho sempre o SENHOR diante de mim. Com Ele à minha direita, não serei abalado”. Aqui encontramos uma resolução feita pelo salmista: a de andar sempre na presença de Deus. A Bíblia Viva expressa bem esta decisão: “Fiz do Senhor a minha companhia constante”. Esta é, sem dúvida alguma, uma decisão importante que todos nós deveríamos fazer e, além de decidirmos em andar com Deus, devemos perseverar em manter intimidade com Ele. Andar com Deus é desfrutar de uma vida plena e uma felicidade eterna. Você tem andado com Deus continuamente?
Davi nos diz que estando Deus ao seu lado não seria abalado. A Bíblia Viva ao traduzir esta frase afirma: Enquanto Ele (Deus) estiver ao meu lado, não tropeçarei. Com isso Davi não estava dizendo que não enfrentaria situações difíceis, mas, sim, que em meio as circunstâncias adversas, Deus estaria ao seu lado para mantê-lo de pé, Ele o sustentaria. Esta é a mesma experiência do profeta Habacuque: Ainda que a figueira não floresça, nem haja uvas nas videiras, mesmo falhando toda a safra de olivas, e as lavouras não produzam mantimentos; as ovelhas sejam sequestradas do aprisco, e o gado morra nos currais, eu, todavia, me alegrarei no SENHOR, e exultarei no Deus da minha salvação! (Hc 3:17,18). Quando andamos com Deus e desfrutamos de Sua amizade experimentamos o Seu cuidado em cada momento, dirigindo-nos, orientando-nos e sustentando-nos. E assim desfrutamos de uma felicidade que o mundo não conhece e nem pode nos proporcionar, pois ela vem da intimidade com Deus. Mesmo diante do pior inimigo, a morte, não há motivo para tristeza, porque Deus não nos abandona nas profundezas da morte; Ele a venceu por meio da ressurreição! Somos em Cristo mais que vencedores! Eis a exortação do SENHOR a nós hoje: Anda na minha presença!