segunda-feira, março 16, 2015

SOB AS ASAS DE DEUS - RUTE 2

Há uma expressão neste capítulo que resume todo o seu conteúdo, a qual eu tomo emprestado para intitular a mensagem de hoje: SOB AS ASAS DEUS. Boaz descreve Rute (v. 12) como alguém que buscou abrigo sob as asas de Deus. Domingo passado, citando Warren Wierbse, disse: “Rute... creu no Deus de Israel (2:12). Havia passado por provações e decepções, mas em vez de culpar a Deus, creu nele e não se envergonhou de confessar sua fé. Apesar do exemplo negativo da família desobediente do marido, Rute conheceu o verdadeiro Deus vivo, e seu desejo era ficar com o povo de Deus e habitar na terra do Senhor. A conversão de Rute é prova da graça soberana de Deus, pois os pecadores só podem ser salvos pela graça (Ef 2:8-10). Tudo dentro dela e a seu redor representava uma série de obstáculos para a fé, e, no entanto, ela creu no Deus de Israel”. Hoje acrescentaria que Rute não só creu em Deus, mas buscou Nele abrigo. Assim, as palavras de Jesus se cumpriram em Rute: Vinde a mim todos os que cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei. Este é o Deus a quem servimos, um Deus que sempre está pronto a nos amparar, dispensar cuidados. Quando olhamos a história de Rute aprendemos que:
1. SOB AS ASAS DE DEUS DESFRUTAMOS DE DIREÇÃOPor trás de ações fortuitas, Deus nos direciona, ou seja, aquilo que para nós é meramente “sorte”, “acaso”, “destino” na verdade é Deus dirigindo nossas vidas segundo o Seu propósito. O capítulo 2 começa introduzindo um novo personagem à história: Boaz. Ele era “uma ‘pessoa poderosa’ - alguém cuja riqueza e alta reputação em Belém lhe deram forte influência entre seus pares” (cf. Hubbard Jr) e também parente de Elimeleque. A Bíblia nos diz que Rute, por casualidade, entrou na parte do campo que pertencia a Boaz. Na minha versão  lemos: “por coincidêndia”. Um estudioso bíblico declara sobre este versículo: “Temos aqui uma reafirmação da fé do autor na graciosa providência de Deus. O escritor sabe, como também os leitores, que não foi uma "sorte" ou "casualidade" acidental. O que para Rute foi uma mera coincidência em um conjunto de circunstâncias não planejadas, entendemos (como Noemi entendeu mais tarde naquele dia; 2:20) que foi parte da obra do cuidado gracioso de Deus”. Quando buscamos a Deus e nEle nos abrigamos podemos ter a certeza que Ele nos dirige os passos.  “A vida parece (como deve ter sentido Noemi em suas amargas experiências) um emaranhado de fios desconexos. Mas a fé na graciosa providência divina traz consigo a certeza de que aqueles fios emaranhados são apenas o avesso de uma tapeçaria, cujo lado direito apresenta uma mensagem de esperança e graça”.
2. SOB AS ASAS DE DEUS DESFRUTAMOS DE PROTEÇÃO – A Palavra de Deus nos ensina que Deus habita com o contrito e o humilde de espírito. No versículo 2 vemos a iniciativa de Rute em cuidar de sua sogra. Observe que Noemi não manda Rute sair e trabalhar. Ela mesma diz: “Deixa-me ir ao campo, e apanharei espigas atrás daquele em cujos olhos eu achar graça.” Rute se comprometeu com Noemi com uma dedicação incrível e ela toma a iniciativa de trabalhar e sustentá-la. É possível também r, ver a humildade de Rute. Ela sabe como tomar a iniciativa sem ser presunçosa. No versículo 7, segundo o relato dos servos de Boaz, Ela disse: “Deixa-me colher espigas, e ajuntá-las entre as gavelas após os segadores”. Ela não demanda uma parte da colheita. Ela não pressupõe o direito de recolher mesmo. Tudo o que ela quer é recolher as sobras depois que os ceifeiros terminarem e ela pede permissão até para fazer isso. John Piper afirma que Rute “é como uma outra mulher estrangeira que veio para Jesus e disse: “Senhor, até os cachorrinhos comem as migalhas debaixo da mesa dos seus senhores”, à qual Jesus respondeu, exaltando sua fé. Rute sabe tomar a iniciativa, mas ela não é agressiva ou arrogante, mas mansa e humilde”. Por esta postura humilde Deus dispensa do seu cuidado e proteção. É interessante observar que Boaz veio supervisionar o trabalho dos segadores no momento em que Rute estava ali. E, ao tomar conhecimento de de quem era ela, agiu com misericórdia:
vv. 8, 9 - “Então, disse Boaz a Rute: Ouve, filha minha, não vás colher em outro campo, nem tampouco passes daqui; porém aqui ficarás com as minhas servas. Estarás atenta ao campo que segarem e irás após elas. Não dei ordem aos servos, que te não toquem? Quando tiveres sede, vai às vasilhas e bebe do que os servos tiraram”
vv. 14,15 – “À hora de comer, Boaz lhe disse: Achega-te para aqui, e come do pão, e molha no vinho o teu bocado. Ela se assentou ao lado dos segadores, e ele lhe deu grãos tostados de cereais; ela comeu e se fartou, e ainda lhe sobejou.  Levantando-se ela para rebuscar, Boaz deu ordem aos seus servos, dizendo: Até entre as gavelas deixai-a colher e não a censureis”.
Deus usou Boaz para dispensar sua proteção sob Rute. John Piper afirma: “Por que Deus deveria mostrar misericórdia para com Rute? Porque ela buscou refúgio sob as suas asas. Ela contou com a proteção divina. Ela fixou seu coração em Deus para sua esperança e alegria. E quando uma pessoa faz isso, a honra de Deus está em jogo e Ele será misericordioso. Se você invocar o valor de Deus como a fonte de sua esperança em vez de invocar o seu próprio valor como fonte de esperança, então o firme compromisso de Deus para com o seu próprio valor irá englobar todo o coração d’Ele para sua proteção e alegria”.
3. SOB AS ASAS DE DEUS D ESFRUTAMOS DE RENOVAÇÃO
 O capítulo 1 termina com a declaração de Noemi: Ditosa eu parti, porém o SENHOR me fez voltar pobre; por que, pois, me chamareis Noemi, visto que o SENHOR se manifestou contra mim e o Todo-Poderoso me tem afligido?”. É interessante observar que, muitas vezes, nós focamos tanto nossos problemas e angústias que não percebemos o agir de Deus na nossa história. Assim foi com Noemi. Tão angustiada com suas dificuldades e tão amargurada da vida que não percebe que Deus pôs fim a fome em Belém e a dispôs a voltar; também Lhe deu uma “filha” para acompanha-la e preservou um parente de seu marido, para dar resgatar Rute e dar continuidade à família de Noemi. O retorno de Rute, ao final de um dia de trabalho, trazendo surpreendentemente uma quantidade significativa de cereal e também o que sobrou da refeição oferecida por Boaz a Rute, fez com que Noemi percebesse o agir de Deus em sua própria vida. Wierbse afirma que “este foi o primeiro evento feliz para encantar Noemi desde o cap. 1”.  Descobriu-se, então, um regatador, alguém que poderia dar continuidade à sua família. John Piper: “Rute trabalha até a tarde. E ela volta para Noemi e dá-lhe as sobras do almoço e todo o grão (v. 17-19). Ela diz o que aconteceu com Boaz, e a teologia de Noemi sobre soberania de Deus, no versículo 20, lhe serve bem. Ela diz, “Bendito seja ele do SENHOR, que ainda não tem deixado a sua beneficência nem para com os vivos nem para com os mortos.”
"Eu acho que a bondade que ela se refere é a bondade do Senhor. Deus tinha começado a mostrar bondade para com os vivos e mortos. Foi o Senhor que parou a fome. Foi o Senhor que vinculou Rute a Noemi em amor. Foi o Senhor que preservou Boaz para Rute. A luz do amor de Deus finalmente rompeu brilhante o suficiente para Noemi ver. O Senhor é bom. Ele é bom para todos que se refugiam debaixo das suas asas. Por isso, vamos cair em nossos rostos, curvar-nos diante do Senhor, confessar a nossa indignidade, buscar refugio sob as suas asas, e nos maravilhar com sua graça”, afirmou John Piper.
Segurança, refrigério, quietude, auxílio, descanso, esperança: estas são as palavras associadas com as "asas" de Deus. Jamais devemos esquecer que em todas as amargas experiências que os filhos Deus enfrentam Deus tem traçando algo para a sua glória. E se nós acreditarmos nisso e lembrarmos-nos disso veremos o revelar da graça em nossas vidas.

Um comentário:

Unknown disse...

GOSTEI DA REFLEXÃO, SÓ SOB AS ASAS DO DEUS ETERNO TEMOS SEGURANÇA. DEUS OS ABENÇOE SEMPRE NO MINISTÉRIO DA PALAVRA.